Rastreio de risco para Trabalho de Parto Prematuro

A prematuridade é uma das principais causas de morbimortalidade neonatal. Com isso torna-se importante o rastreamento das pacientes de risco para o parto prematuro.

A medida do colo uterino pode ser realizada a partir da 14ª semana e tem valor para predição de prematuridade até a 28ª semanas. Quanto mais precoce for determinado o encurtamento da medida, maior o valor preditivo para detecção de parto pré-termo. A paciente de alto risco com comprimento < 25 mm entre 14 e 18 semanas, tem um valor preditivo positivo para parto com menos de 35 semanas de 70% e de 40% quando detectada entre 18 e 22 semanas.

(Berghella, Am J Obst Gyn, 2010)

Todas as gestantes devem ser submetidas à avaliação do comprimento do colo uterino. As pacientes de baixo risco devem ser avaliadas entre 20 e 24 semanas (juntamente com a ultrassonografia morfológica de segundo trimestre). As de alto risco devem ser avaliadas com 14 semanas, e repetir a cada duas semanas (até a 28ª semana). Para pacientes com colo curto, recomenda-se o uso de progesterona via vaginal, e para aquelas com outros fatores de risco, pode-se associar a cerclagem uterina até a 26ª semana de gestação.

Publicado em Espaço Médico